Principal | Contato | Mapa do Site
 
 

Licença à Gestante

 

- Orientação Consultiva nº. 035/98- DENOR/SRH/MARE, de 31/03/98

- Orientação Consultiva nº. 018/DENOR/SRH/MARE

Lei Nº 8.112, de 11 de Dezembro de 1990 com as alterações da Lei 9.527

TÍTULO VI - DA SEGURIDADE SOCIAL DO SERVIDOR

CAPíTULO II - DOS BENEFÍCIOS

SEÇÃO V - Da Licença à Gestante, à Adotante e da Licença-Paternidade

Art 207. Será concedida licença, à servidora gestante por 120 (cento e vinte) dias consecutivos, sem prejuízo da remuneração.

§ 1º A licença poderá ter início no primeiro dia do nono mês de gestação, salvo antecipação por prescrição médica.

§ 2º No caso de nascimento prematuro, a licença terá início a partir do parto.

§ 3º No caso de natimorto, decorridos 30 (trinta) dias do evento, a servidora será submetida a exame médico, e se julgada apta, reassumirá o exercício.

§ 4º No caso de aborto atestado por médico oficial, a servidora terá direito a 30 (trinta) dias de repouso remunerado.

Art 208. Pelo nascimento ou adoção de filhos, o servidor terá direito à licença-paternidade de 5 (cinco) dias consecutivos.

Art 209. Para amamentar o próprio filho, até a idade de seis meses, a servidora lactante terá direito, durante a jornada de trabalho, a uma hora de descanso, que poderá ser parcelada em dois períodos de meia hora.

Art 210. À servidora que adotar ou obtiver guarda judicial de criança até 1 (um) ano de idade, serão concedidos 90 (noventa) dias de licença remunerada.

Parágrafo único. No caso de adoção ou guarda judicial de criança com mais de 1 (um) ano de idade, o prazo de que trata este artigo será de 30 (trinta) dias.